terça-feira, 15 de maio de 2018

Sugestões para o dia de hoje, DIA INTERNACIONAL DA FAMÍLIA


Sinopse:

Algumas famílias são parecidas. Algumas famílias gostam de comer coisas diferentes. Algumas famílias gostam de se abraçar. Abre este livro para leres acerca de todos os tipos de família.
Título: O Livro da Família
Autor(a): Todd Parr
Editora: Gailivro

Sinopse:

Uma avó tão irrequieta que partiu uma perna a fazer esqui! Uma amiga com o estranho nome de Galochas. Uma irmã chanfrada. Uma vizinha choramingona e um taxista apaixonado por ela. Uma porteira que atrai as pulgas e um fantasma que resolve visitar a sua viúva. Um primo que é tanso e uma namorada ucraniana que fala uma língua que nem ele entende. Uma cabeça de esfregão ralado e uma tia Tábem. Uns pais que arrulham como pombinhos e uma casa mesmo a deitar por fora onde a família não cabe mas não pára de entrar — Ufa! Não é nada fácil ser-se adolescente, chamar-se Maria Ana (não, não é Mariana, quantas vezes será preciso dizer?!) e sobretudo ter de observar os estranhos efeitos que o amor tem nas pessoas…
Título: A Família Que Não Cabia Dentro de Casa
Autor(a): Alexandre Honrado
Editora: Editorial Planeta


Sinopse:

Neste livro interactivo, as crianças vão abrindo janelas, girando rodas e seguindo setas que as conduzirão à conclusão de que existem diferentes tipos de famílias.

Título: As Famílias Não São Todas Iguais

Autor(a): Tango Books
Editora: Presença



Sinopse:

A autora valoriza a verdadeira Árvore da Família que vive no Jardim do Coração.
Inclui também um espaço-convite para cada um criar a sua própria Árvore Genealógica e um jogo que pode ajudar a manter viva e viçosa a Árvore da Família.
Título: A Árvore da Família no Coração
Autor(a): Graça Gonçalves
Editora: Gostar


HOJE é o Dia Internacional da Família


A data foi escolhida pela Assembleia Geral da ONU, que proclamou o dia 15 de maio como o Dia Internacional da Família.
A celebração do Dia Internacional da Família visaentre outros objetivos, destacar:
  • a importância da família na estrutura do núcleo familiar e o seu relevo na base da educação infantil;
  • reforçar a mensagem de união, amor, respeito e compreensão necessárias para o bom relacionamento de todos os elementos que compõem a família;
  • chamar a atenção da população para a importância da família como núcleo vital da sociedade e para seus direitos e responsabilidades;
  • sensibilizar e promover o conhecimento relacionado com as questões sociais, económicas e demográficas que afetam a família.
O primeiro Dia Internacional da Família foi celebrado em 1994



Ilustração de JAN VAJDA

segunda-feira, 7 de maio de 2018

Coração de Mãe


Clicar na imagem para aceder


TÍTULO: Coração de Mãe

AUTOR: Isabel Minhós Martins; Ilustração:Bernardo Carvalho

EDITORA: Planeta Tangerina
SINOPSE:

Esta história fala-nos de um cordão umbilical entre a mãe e os filhos que nunca se corta, apenas estica.

Assim se desvendam alguns mistérios das mães. O olhar os filhos com uma centelha nos olhos, o cuidar deles - no fundo tudo o que acontece ao filho - espelha-se no coração da mãe.




sábado, 5 de maio de 2018

Hoje, dia 5 de Maio é «Dia da Língua Portuguesa e da Cultura na CPLP»




Nota informativa via 
https://www.cplp.org/

O dia 5 de maio foi instituído como o "Dia da Língua Portuguesa e da Cultura na CPLP", a 20 de julho de 2009, por resolução da XIV Reunião Ordinária do Conselho de Ministros da CPLP, decorrida na cidade da Praia, Cabo Verde.

O Dia da Língua Portuguesa e da Cultura na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) vai ser comemorado por um conjunto de eventos, um pouco por todo o mundo, organizados pelo Secretariado Executivo, pelos embaixadores dos países da CPLP em diversas capitais e acreditados junto a Organizações Internacionais, pela Sociedade Civil e pelos governos nacionais.

Na sede da CPLP, o Secretariado Executivo organiza uma sessão solene, a decorrer no dia 3 de maio de 2018, sob o lema «Os Arquivos Históricos e as Bibliotecas Nacionais na preservação do legado histórico e cultural dos Estados-Membros da CPLP». A abertura da sessão vai ser efetuada pela Secretária Executiva da CPLP, Maria do Carmo Silveira, e pelo Representante do Brasil junto à CPLP (Presidência pro tempore da CPLP), Embaixador Gonçalo Mourão, seguindo-se uma mesa-redonda para reflexão e debate.

A recuperação e preservação da memória histórica merece enfoque no papel dos Arquivos Históricos e das Bibliotecas Nacionais enquanto atores estratégicos na preservação do legado histórico e cultural dos Estados-Membros da CPLP. Nesta senda, no dia 4 de maio, realiza-se o Encontro «Arquivos Históricos e Bibliotecas Nacionais da CPLP».

Ainda no dia 3 de maio, a sessão solene de comemoração do “Dia da Língua Portuguesa e Cultura na CPLP” contempla também a inauguração da exposição «Inspira-te, património criativo, educação patrimonial e empreendedorismo cultural e turismo de conhecimento» - Cidade Velha, Cabo Verde, organizada pela SPHAERA MUNDI / Museu do Mundo, e a entrega do Prémio Literário UCCLA - Novos Talentos, Novas Obras em Língua Portuguesa, a cargo da UCCLA - União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa.

Precisamente no dia 5 de maio, as Missões dos Estados-membros da CPLP junto à Organização das Nações Unidas (ONU) em Nova Iorque, organizam um evento comemorativo do “ Dia da Língua Portuguesa e da Cultura na CPLP”. A Secretária Executiva da CPLP, Maria do Carmo Silveira, e o Secretário Geral da ONU, António Guterres, vão estar presentes nesta cerimónia que decorre nos jardins da ONU.

Na véspera, vai acontecer o I Encontro de Academias de Letras da CPLP, uma mesa-redonda subordinada ao tema "A Língua Portuguesa e as Relações Internacionais", no Centro de Conferências das Nações Unidas, igualmente, em Nova Iorque.

O “5 de Maio – Dia da Língua Portuguesa e da Cultura na CPLP” é, paralelamente, assinalado no dia 7 de maio com a realização do Encontro “A Educação à Distância na CPLP” e o ato constitutivo da “Associação de Educação à Distância dos Países de Língua Portuguesa”, na Sede da CPLP, local onde vai também decorrer o lançamento da obra “Comunidade dos Países de Língua Portuguesa: A Afirmação Global das Culturas de Expressão Portuguesa”, a 14 de maio.

O dia 5 de maio foi instituído como o "Dia da Língua Portuguesa e da Cultura na CPLP", a 20 de julho de 2009, por resolução da XIV Reunião Ordinária do Conselho de Ministros da CPLP, decorrida na cidade da Praia, Cabo Verde.

quinta-feira, 3 de maio de 2018

Um dia MUITO especial, o Dia da Mãe

O Dia da Mãe foi oficialmente criado pela norte-americana Anna Jarvis, que perdeu a sua mãe em 1904. Mas a História deste dia começou muito antes, há mais de 2000 anos! 
Anna Jarvis
As mais antigas celebrações do Dia da Mãe estão ligadas à comemoração do início da Primavera, na Grécia Antiga. Estes festejos eram em honra da Deusa Rhea, mulher de Cronos e mãe de todos os deuses desta cultura.
Por seu turno, em Roma, as festas comemorativas do Dia da Mãe eram dedicadas a Cibele, a mãe dos deuses romanos. O dia dedicado a esta deusa foi criado cerca de 250 anos antes do nascimento de Cristo.
Durante o século XVII, a Inglaterra celebrava no 4º Domingo da Quaresma (os 40 dias antes da Páscoa) um dia chamado "O Domingo da Mãe", dedicado a todas as mães inglesas. Nesta época, a maior parte da classe baixa inglesa trabalhava longe de casa e vivia com os patrões.

Assim, no Domingo da Mãe, os criados tinham um dia de folga e eram encorajados a regressar a casa e passar esse dia com a sua mãe.
Sabias que a primeira vez que se falou realmente num dia especial só para mães foi nos Estados Unidos em 1872?
Julia Ward Howe
Julia Ward Howe e algumas colegas uniram-se para lutar contra a guerra e, segundo elas, o Dia da Mãe seria um dia de paz
Só em 1904 é que a ideia começou a pôr-se em prática.
Quando a mãe morreu, Anna Jarvis começou a chamar a atenção das pessoas para a importância de um dia especialmente dedicado a todas as mães. Três anos depois, a 10 de Maio de 1907, conseguiu celebrar o primeiro Dia da Mãe.
Nesse dia, Anna Jarvis enviou à igreja onde estava a ser feitas as comemorações 500 cravos brancos. Estas flores deviam ser usadas por todos e simbolizavam todas as coisas boas da maternidade.
Ao longo dos anos esta senhora enviou mais de 10 mil cravos para a igreja:
- encarnados para as mães ainda vivas e
- brancos para as já desaparecidas.
Sabias que ainda hoje os cravos são mundialmente considerados os símbolos da pureza, força e resistência das mães?
O objetivo deste dia é dar mais atenção à importância das mães, pensar nelas, conversar, oferecer presentes e descobrir novas maneiras de lhes dar felicidade!
ADOLPHE JORDAN 
Em 1911, o Dia da Mãe foi celebrado em praticamente todos os Estados Unidos da América e, em 1914, o presidente declarou oficialmente e a nível nacional o 2º Domingo de Maio como o Dia da Mãe.
Hoje em dia, celebra-se o Dia da Mãe com pouco conhecimento de como tudo começou. No entanto, podemos identificar-nos com o respeito, o amor e a honra demonstrados por Anna Jarvis.
Apesar de cada país escolher datas diferentes ao longo do ano para festejar o Dia da Mãe, o objetivo é sempre o mesmo: homenagear aquela que nos põe no mundo!
Em Portugal, até há alguns anos atrás, o Dia da Mãe era comemorado a 8 de Dezembro. Sabias que este é o dia de Nossa Senhora da Conceição, ou seja, o dia de Nossa Senhora como mãe. Por isso foi escolhido este dia. 


 Atualmente, em Portugal, o Dia da Mãe é comemorado no 1º Domingo de Maio!
(Inf.via junior.te)

quarta-feira, 2 de maio de 2018

Lançado em março... para o dia da Mãe




TÍTULO: MÃE, QUERIDA MÃE!
AUTOR: Luísa Ducla Soares; Ilustração: Sandra Serra
EDITORA: Texto Editores
SINOPSE:
A Minha MÃE é a melhor.
Tenho a certeza que, para ti, a Tua MÃE também é a melhor.
Para todos nós, a Nossa MÃE é única, especial e a mais querida de todas.
Quer seja uma mãe galinha ou formiga, leoa ou gata, panda ou macaca, andorinha ou pata, a MÃE está sempre presente para nos abraçar.
Ela repreende-nos mas perdoa, defende, ajuda e ensina-nos a crescer até sabermos que chegou a hora de voar.
Mãe, Querida mãe é uma homenagem à minha, à tua e a TODAS as MÃES deste mundo.

segunda-feira, 30 de abril de 2018

A Fábula dos Feijões Cinzentos

 Ainda o 25 de ABRIL e o 1º de Maio. Desta vez com os alun@s do 4º e 3º ano

A fábula dos feijões cinzentos

More presentations from Ana Luisa de Beirao




TÍTULO:A Fábula dos Feijões Cinzentos. 25 de abril, como quem conta um conto
AUTOR:José Vaz 
EDITORA: Campo das Letras
SINOPSE:
Uma história contada em jeito de fábula, em que os personagens são feijões de diversas variedades, de acordo com as características humanas de figuras tipo do tempo do Estado Novo. Uma metáfora sobre a ditadura vivida pelos portugueses durante 48 anos e da liberdade trazida pela revolução dos cravos do 25 de abril de 1974.
Três feijões, o Carrapato, o Fidalgo e o Frade, tomaram conta do reino do “Jardim-à- Beira-Mar- Plantado”, roubando o Sol, a Água e o Ar aos outros feijões que por falta disso, se tornaram cinzentos.

Os protestos de muitos feijões, como o Vermelho, o Canário, o Preto ou o Rajado, conseguiram dar um empurrão aos opressores (as raízes estavam já podres) e repartir o que, outrora, lhes tinha sido tirado. A partir desse dia da Liberdade, os feijões passaram a ter as suas cores antigas pois tinha chegado a primavera ao reino do “Jardim-à- Beira-Mar- Plantado”.










sexta-feira, 27 de abril de 2018

Os cravos de ABRIL pelo "Verbos Mimos" na nossa biblioteca

Mais uma vez, a Prof. Manuela ,do Centro de Estudos "Verbos Mimos", veio até à nossa biblioteca e desta vez com a leitura partilhada do livro de Manuel Pina "O Tesouro". Muita conversa sobre a revolução de abril e ainda houve tempo para cantar a "Gaivota". 

Parabéns a todos, que se portaram lindamente e estiveram muito atentos!!!
O nosso bem haja à Prof. Manuela pela sua disponibilidade e parceria de há tantos anos.













segunda-feira, 23 de abril de 2018

Dia Mundial do Livro. A Eleição do Livro Mais Fixe.

Houve uma participação de mais de 50% dos alunos do 1º ciclo que aderiram com grande entusiasmo e interesse. Os elementos da mesa, alunos do 2º ano, cumpriram muito bem o seu papel, assim como os dois elementos, também do 2º ano, que ajudaram na contagem dos votos.