domingo, 31 de outubro de 2010

Fica a saber um pouco mais sobre o Halloween

Santos e Halloween: Mortos e Festas 
Dia de Todos os Santos 
Se reparares no calendário da Igreja, cada dia tem o seu santo. No entanto, há mais santos do que os 365 dias do ano...
Por isso a Igreja Católica escolheu o dia 1 de Novembro para os honrar a todos. Daí ser "Dia de Todos os Santos". Ainda por cima é feriado!
No início do século VII, o Papa Bonifácio IV designou o dia 1 de Novembro como "O Dia de Todos os Santos". No século X, a Igreja dedicou o dia 2 de Novembro às almas, em memória de todos os falecidos.
Sabes de onde vem a palavra Halloween? É que Dia de Todos os Santos diz-se em inglês All Hallows Day. E, como vais descobrir, a noite anterior a este dia é muito importante, por isso Halloween é uma abreviatura de All Hallows Even - "Noite de Todos os Santos"!
Halloween, Dia de Todos os Santos e Dia de Finados (dos Mortos) passaram a fundir-se numa mesma tradição. Tudo isto se relaciona: os santos, a vida, a morte, a festa...
Acreditava-se que na Noite das Bruxas os fantasmas voltavam à Terra em busca de alimento e companhia para levarem para o outro mundo.
Assim, as pessoas pensavam que encontravam almas penadas se saíssem de casa nessa noite.
Por isso, para não serem reconhecidas pelos fantasmas, usavam máscaras quando saíam de casa, para serem confundidas com espíritos que andavam à solta a tentar apanhar almas vivas. E para manter os espíritos longe de casa, as pessoas colocavam tigelas de comida à porta para os satisfazer e os impedir de entrar.
Também para se proteger, carregam lanternas, porque a luz e os fantasmas não se dão muito bem... Uns são da noite e das trevas (escuridão e morte) e a luz significa a vida.
"Pão por Deus"
Celebrar o Dia de Todos os Santos
Em Portugal, no dia de Todos os Santos, de manhã bem cedinho, as crianças saem à rua em pequenos grupos para pedir o "Pão por Deus".
Passeiam assim por toda a povoação e ao fim da manhã voltam com os seus sacos de pano cheios de romãs, maçãs, doces, bolachas, rebuçados, chocolates, castanhas, nozes e, às vezes, até dinheiro!
Há povoações em que se chama a este dia, o "Dia dos Bolinhos".    
Antigamente todas as pessoas iam pedir o "Pão por Deus" porque havia muita pobreza e havia mesmo necessidade de pedir.
Normalmente as pessoas punham as mesas com o que tinham em casa (comida e bebida) e, quando chegavam os pobres, entravam e comiam à vontade e à saída ainda lhes davam mais alguma coisa.
Hoje já só pedem as crianças para não se perder a tradição. E mesmo assim, só nas terras mais pequenas.
Sabias que aí é costume neste dia as pessoas confeccionarem broas para comerem e darem?
Halloween - "trick or treat!" 
A tradição de dar doces, guloseimas e frutas veio dos duendes (e da Irlanda), que eram considerados maus pelos antigos celtas.
Nessa noite eles gostavam de pregar partidas ("tricks") aos humanos.
Para lhes agradar e evitar as suas maldades, as pessoas deixavam doces e frutas ("treats") à porta das suas casas.
Daí surgiu a famosa frase "trick ou treat" que dizem as crianças norte-americanas (e canadianas) quando celebram o Halloween, o Dia das Bruxas, e pode ser traduzida como "presentes ou partidas".
Já reparaste que esta história do «Pão por Deus» das crianças portuguesas pedirem à porta das casas é parecida com a das crianças norte-americanas?
Como se diz que nessa noite os fantasmas andam à solta, todas as partidas são válidas, mas é preciso estar mascarado como eles (os espíritos) para não sermos levados pelas almas do outro mundo.
Também para se protegerem deles, os miúdos carregam lanternas feitas com uma abóbora escavada. 
Essas lanternas também se põem à porta de casa, para espantar os espíritos. 
Desde há algum tempo, Portugal tem-se deixado influenciar por muitos aspectos que não fazem parte da nossa cultura e tem celebrado o Halloween nas escolas, clubes e até em centros comerciais, mas também deviam olhar para as tradições que são mais nossas. 
Informação recolhida em http://www.junior.te.pt

As quadras dos alunos do 4º G - Prof. Conceição - para o escritor

No dia 29 de Outubro
José Fanha vai chegar,
À nossa bela escola
Para a Biblioteca apadrinhar!
Bisnaus, bisnecos, bisnucas,

Todos passamos a conhecer!
“O dia em que a barriga rebentou”
Todos estivemos a ler!

Para ter corpo saudável
Precisamos de comer…
De tudo um pouco
O que na “roda” podemos ver!

Variar, mastigar, exercitar,
São acções a cumprir!
Obrigado José Fanha,
Por nos ter feito rir.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Mais vale tarde do que nunca....


Amanhã, será dia de festa! 
Com um dia de atraso, já que o escritor José Fanha não pode estar presente na data prevista, amanhã a partir das 10h até às 16h contamos,finalmente com a sua visita.
O entusiasmo dos alunos continua e para que tudo corra como temos planeado só esperamos que a chuva não nos venha visitar também.

A Biblioteca aberta a TODOS


segunda-feira, 25 de outubro de 2010

UM CONVITE ESPECIAL














Segundo os princípios estabelecidos pela Internacional Association of School Librarianship (IASL), o "Mês Internacional da Biblioteca Escolar permitirá aos responsáveis pelas bibliotecas escolares, em todo o mundo, escolher um dia, em Outubro, que melhor se adeque à sua situação de forma a celebrar a importância das bibliotecas escolares.”

Ao longo deste mês, todos os docentes, deram a conhecer algumas das obras do escritor José Fanha, aos seus alunos e trabalharam em estreita ligação com as propostas apresentadas pela Biblioteca Escolar.
Têm sido muitos e fantásticos os trabalhos que os vossos educandos produziram, por isso vimos convidar todos quantos tenham disponibilidade para visitar, não só a Biblioteca Escolar mas em especial a exposição patente no hall, junto da mesma, e onde poderão apreciar a criatividade dos alunos.
HORÁRIO : das 09: 00 – 10:30 e das 16:00 – 17:00

domingo, 24 de outubro de 2010

Descobre as aventuras de uma bruxinha muito engraçada

Marcelina e a Noite de Halloween

See more presentations by analuisabeirao | Upload your own PowerPoint presentations
 
Sinopse
“A bruxinha Marcelina fica assustada quando a sua avó lhe fala de espíritos, fantasmas e monstros e lhe conta a lenda da Noite de Halloween.
Ainda bem que se transformou numa festa infantil!
Com disfarces, rebuçados, tartes de abóbora e bonitas lanternas.
 - Agora que já sei o que é, perdi o medo e divirto-me muito! - diz Marcelina.”
E tu? Queres divertir-te nessa noite mágica?
É mais um outro livro que tu podes encontrar na nossa Biblioteca!

Vai até à Biblioteca e descobre este livro

A malfadada poção

Aqui, tu podes ver as ilustrações, depois descobre qual foi a história que Ann Rocard inventou para tu leres. Para isso, basta ires até à Biblioteca.

Uma sugestão para o Dia das Bruxas

sábado, 23 de outubro de 2010

Os alunos da Prof. Fátima, 2º I , retratam José Fanha

Mais uma turma a conhecer a obra de José Fanha

O pequeninos do 1º G, alunos da Prof. Teresa, entraram na Biblioteca com um sapato muito especial!
Sinopse:
Ninguém sabe os contratempos que um Pai Natal sofre para levar a tempo e horas todas as prendas que as crianças irão receber, mal abrirem um olhito na manhã de cada dia 25 de Dezembro!
Eu, que fui Pai Natal durante vários anos, posso garantir-vos que, quando chega Dezembro, todos os Pais Natais andam de um lado para o outro com o coração nas mãos. Eu era apenas «um poeta guloso, comilão e bem-disposto». Mas um dia, o Pai Natal, o verdadeiro, o que vive na Lapónia - pediu-me que o substituísse naquele ano. E na verdade, eu tinha tudo para ser um óptimo Pai Natal: uma barriga redondinha, bochechas vermelhas e barba branca, e, sobretudo, uma enorme vontade de fazer as crianças felizes.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Os pequeninos do Pré- Escolar também conhecem a obra de José Fanha

Aluno Gabriel
Registo gráfico executado pela aluna Joana da Turma AR3 - Edu. Inf. Alexandrina

UM TRABALHO FANTÁSTICO

Na passada semana, demos conta de grande azafama na sala do 4º H, agora chegou a obra finalizada à Biblioteca. Parabéns! 
Trabalho colectivo dos Alunos do 4º H - Prof. Isabel

ESTREIA!



Foram os pequeninos do Pré-Escolar, turma AR3, alunos da Edu. de Infância Alexandrina, que accionaram o botão ON, do DVD bluray pela 1ª vez.
O filme seleccionado, a ser visionado em várias sessões, foi “A Fuga das Galinhas” de Peter Lord
 
Sinopse: As galinhas de Coop 17 estão finalmente determinadas a fugir do galinheiro, depois de descobrirem que a maléfica Sra. Tweedy tenciona cozinhá-las todas, para fazer tartes de frango!

Paredes que falam...

O BISNECO COMILÃO
(Trabalho colectivo 3º F)


José Fanha visto pelos alunos Gonçalo, Carlota, Mafalda e Ana Isabel, alunos do 3º F - Prof. Paula

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Continuam a surgir trabalhos fantásticos

A obra de José Fanha vista pelos seus leitores, os alunos do 4º G - Prof. Conceição Postiga.
Imaginar e reciclar são as palavras de ordem
O Gonçalobisnau - Aluno Gonçalo
A Marianabisnuzoca - Aluna Mariana Azevedo

A Catibisnuca - Aluna Adreia
A Bisnuzeca - Aluna Mariana Pena





Professores Bibliotecários do Concelho visitam e trabalham na Biblioteca

Os Professores Bibliotecários(PB) do Concelho de Vila do Conde, Dr.as Maria Dores Fernandes do Agrup. de Escolas Afonso Betote; Rosa Guedes e Patrícia Fangueiro do Agrup. de Escolas de Mindelo; Abílio Santos do Agrup. de Escolas da Junqueira; Adosinda Santos e Ana Paula Sanches do Agrup. de Escolas a ribeirinha; Fernanda Sampaio da es/3 José régio; Anabela Aguiar da es/3 afonso sanches e também a PB da BE Sede do nosso Agrupamento Dr.ª Olga Veloso.
A reunião foi presidida pela PB Coordenadora Interconcelhia Dr.ª Angelina Pereira. A Directora do nosso Agrupamento, Dr.ª Anabela Silva também esteve presente abrindo a sessão de trabalhos e deu as boas vindas a todos os presentes a este novo Centro Escolar.
Os coordenadores interconcelhios das Bibliotecas Escolares constituem o elo de ligação entre o Gabinete Coordenador da Rede de Bibliotecas Escolares (RBE) e as escolas.
O objectivo destas reuniões, que são mensais, é garantir o desenvolvimento do trabalho realizado pelas escolas e pelos Professores Bibliotecários, de acordo com as orientações do gabinete RBE.

Ainda a ida a votos


Logo pela manhã, os pequeninos do Pré-Escolar, sala da Educadora de Infância Géni, deram continuidade ao processo de selecção para o logótipo para a BE.



segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Há vida dentro e fora da Biblioteca

“A Biblioteca Escolar é parte integrante do processo educativo, deve apoiar e promover os objectivos educativos definidos de acordo com as finalidades e currículo da escola, trabalhar com alunos, professores, órgãos de gestão e pais de modo a cumprir a missão da escola”.
(In, Manifesto da Biblioteca Escolar, da IFLA/Unesco. 2000)



Pensamos que a plena concretização dos objectivos da Biblioteca Escolar e do desenvolvimento da literacia da informação só acontece quando existe um verdadeiro trabalho colaborativo entre o Professor Bibliotecário, os Professores de Turma e os Professores das Actividades de Enriquecimento Curricular.
Foi isso que aconteceu hoje, ao final do dia, Professores, Alunos, Directora do Agrupamento e Coordenadora do Dep. do Ensino para a Música, encheram o espaço polivalente do CE para ensaiarem uma nova canção, da autoria da Prof. Adalgisa, para o dia da Festa da Biblioteca Escolar.

As personagens do conto pelas mãos dos alunos



Cortando, colando botões ou feijões, reciclando afinal, os alunos do 4º H divertiram-se imenso dando largas à imaginação na construção de uma das personagens do conto "O Dia em que a barriga rebentou".
Com a aproximação da visita do escritor José Fanha, começam a surgir trabalhos magníficos.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Assim termina mas... é para começar a nova etapa

Hoje, pelas 18:30, realizou-se a última reunião com os docentes do 1º Ciclo.
Conclui-se desta forma o processo de apresentação deste novo espaço a toda a comunidade docente.
A Directora e a Professora Bibliotecária deram a conhecer , tal como aconteceu nos grupos anteriores, as estratégias de trabalho a implementar para este ano escolar.

O grande desafio será trabalhar de forma colaborativa COM e NA Biblioteca Escolar.



Foi dia de ir a votos


Hoje, professores e alunos votaram. Temos que encontrar o melhor logotipo para a nossa BE! Esta actividade decorreu com muito entusiasmo. Foi uma excelente vivência... momentos de verdadeira cidadania.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Os mais pequeninos do Centro Escolar
Os alunos do pré-escolar, sala da Educadora de Infância Alexandrina, vieram para a Hora do Conto.



A TURMA DO 3º G
O Professor Paulo veio com os seus alunos para uma pequena acção de formação de utilizadores. Tudo é descoberta, tudo é novidade para estes pequenos leitores.



Para os mais pequeninos....
O Dia da Alimentação está a chegar! 
View more presentations or Upload your own.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Continuam as visitas....

Foi a vez dos pequeninos do Pré-Escolar, alunos da Educadora de Infância Géni,  fazerem a sua primeira visita à Biblioteca e ainda tiveram tempo para mais um conto.

Hoje foi dia de primeiras visitas!
Ao final da tarde, chegou o grupo das Educadoras de  Infância que fazem parte do Agrupamento.
Vieram conhecer este novo espaço e tal como aconteceu com o grupo de docentes do 1º ciclo da EB1 Nº1, este encontro teve como principal finalidade não só dar a conhecer a este grupo de docentes a nova Biblioteca  e o seu fundo documental mas também as estratégias de trabalho a implementar durante este ano lectivo.

sábado, 9 de outubro de 2010

I Feira do Livro deste ano lectivo

A partir da próxima semana, 2ªfeira e até ao dia 28 decorrerá na Biblioteca a Feira do Livro de Autor.
Estão expostas várias obras de José Fanha

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Para conhecer algumas obras do escritor José Fanha.

O Dia em Que a Barriga Rebentou
Sinopse

Pai Bisnau, mãe Bisnuca, filhos Bisnica e Bisneco, constituíam a terrível Família Bisnau que só vivia para almoçar. E lanchar. E jantar. E cear. E comer a todas as horas do dia
Nem usavam talheres! Metiam as mãos, quer dizer, metiam as asas pelo tacho adentro e enchiam a boca de tudo o que conseguiam apanhar.
Todos os dias era o mesmo: grandes paneladas, muitos fritos e fritadas, chouriços e chourições, panelas e panelões com comidas gordurentas, batatas fritas e sumos, pastilhas, gomas e mais, tanto mais que já ninguém se espantou quando um dia a barriga do Bisneco rebentou! 


O Dia em Que o Mar Desapareceu
Sinopse
Livro de apoio a projectos relacionados com Natureza/Defesa do Ambiente nos 1º, 2º, 3º e 4º anos.
Esta história começou por ser um pequeno espectáculo de grande sucesso apresentado às crianças de várias Vilas da nossa Costa. Trata-se de uma história com preocupações de educação ecológica e ambiental que conta o mau comportamento de uma horrorosa família de pássaros bisnaus que sujam a praia e o mar e fazem com que o mar fique triste e desapareça. Como é óbvio, no final, o mar salva-se da poluição e volta a ser o maravilhoso mar que todos conhecemos.

O dia em que a mata ardeu
Sinopse
A narrativa, perspectivada no âmbito da formação cívica, aborda a temática dos incêndios, procurando sensibilizar os mais novos para este verdadeiro e preocupante flagelo nacional.
Conjugando o rigor de um pedagogo no terreno há já vários anos e a subtileza da escrita de um grande autor que é também actor, José Fanha veicula a mensagem implícita no slogan: Portugal sem fogos depende de todos.





Os Sapatos do Pai Natal
Sinopse
Ninguém sabe os contratempos que um Pai Natal sofre para levar a tempo e horas todas as prendas que as crianças irão receber, mal abrirem um olhito na manhã de cada dia 25 de Dezembro!
Eu, que fui Pai Natal durante vários anos, posso garantir-vos que, quando chega Dezembro, todos os Pais Natais andam de um lado para o outro com o coração nas mãos. Eu era apenas «um poeta guloso, comilão e bem-disposto». Mas um dia, o Pai Natal, o verdadeiro, o que vive na Lapónia - pediu-me que o substituísse naquele ano. E na verdade, eu tinha tudo para ser um óptimo Pai Natal: uma barriga redondinha, bochechas vermelhas e barba branca, e, sobretudo, uma enorme vontade de fazer as crianças felizes. 

O Meu Amigo Zeca Tum-Tum
Sinopse
E tudo começou num grande encontrão. A minha história e a do Zeca começou assim mas antes de terminar muita coisa vai acontecer porque a minha escola é um mundo onde habitam alunos muito diferentes, eu, o Zeca, o Pirapóra, o Tiago Ping-Pong, a Maria Sarabandovitch e ou outros, muitos outros, todos diferentes e todos iguais… uma história fantástica cheia de voltas e reviravoltas onde José Fanha nos conta, como só ele sabe fazer, uma história que se podia passar em qualquer escola do nosso país. Com a globalização e as suas implicações raciais, culturais e socioeconómicas, a interculturalidade ganhou uma dimensão acrescida e tem na Escola e nos seus agentes um meio efectivo de aplicação. O que se pretende transmitir é a necessidade de uma sociedade sem "diferenças", onde haja espaço para todos, sem qualquer tipo de discriminação. Com "O Meu Amigo Zeca Tum Tum", conceitos como igualdade, tolerância ou cidadania global deixam de ser abstracções para os jovens - são realidades que eles conhecem de todos os dias.

Histórias Para Contar em Noites de Luar
Sinopse
Aqui se reúnem histórias escritas pelo simples prazer de contar histórias. Ao correr da pena, as palavras foram-se seguindo, chamando-se umas às outras, caminhando por montes e vales, fazendo estalar a magia em aventuras misteriosas e fantásticas.
São histórias de rainhas e reis, príncipes e princesas, histórias onde as estrelas podem cair do céu e entrar pelo mar dentro e onde conhecemos estranhas personagens como Pulquéria a domadora de palavras selvagens ou a velhinha que dava milho real a pombos imaginários
Histórias que devemos ter sempre à mão para aqueles momentos em que um menino, mais pequeno ou maior, de 8 ou de 80 anos, abre um sorriso e nos pede: "Conta-me uma história!"
 

Era uma vez a República
Sinopse
Já passaram 100 anos depois dessa data tão importante para a nossa História recente que é o 5 de Outubro de 1910 em que terminou a Monarquia e se deu a implantação da República. São muitas as perguntas que colocamos quando se fala do 5 de Outubro de 1910. Será que saberemos o que é uma República? Qual é a diferença entre a República e a Monarquia? Quem concebeu O Mapa Cor-de-Rosa? Como é que nasceu o Hino Nacional? Como é que se escolheu a Nova bandeira portuguesa? Quem é que era eleito para o Parlamento? O que é a Maçonaria? E a Carbonária? Porque é que assassinaram o Rei D. Carlos? Quem foi Afonso Costa? Porque é que chamavam o Presidente-rei a Sidónio Pais?

Esdrúxulas, Graves e Agudas - Magrinhas e Barrigudas
Sinopse
As palavras não são todas iguais. Há palavras magrinhas e barrigudas e todas elas se distinguem pela sua acentuação. Nestas pequenas histórias e poemas, as palavras ganham vida e brincam umas com as outras, participando num jogo feito de monossílabos e polissílabos, de tils e acentos circunflexos, de palavras agudas, graves e esdrúxulas, que, afinal, é o jogo da nossa língua!

Poemas para Um Dia Feliz
Sinopse
Muita poesia e, sobretudo, muita da melhor poesia portuguesa é melancólica, reflexiva ou triste e veste-se frequentemente com a roupagem dos cânticos de ausências, de saudade ou de despedida. Pouco frequente será a poesia que celebra momentos de júbilo, de alegria e de felicidade. Haverá quem diga que quando se está feliz não se escreve, não se tem tempo para o desenho oficinal das palavras Quando a felicidade nos ocupa por inteiro não precisaremos de palavras para viver em estado de pura poesia. Nesta antologia podemos encontrar casos extraordinários de poesia feliz. Ou melhor, de poesia escrita em estado de felicidade. A acompanhar o livro vai um CD áudio com a declamação dos poemas. Porque é certo que muita poesia se apreende melhor pela musicalidade da língua e foi encostados a uma voz que muitos de nós descobrimos a festa da poesia. Esperamos que, na sequência dos títulos já publicados "Poemas com Animais" e "Poemas da Natureza", estes "Poemas para um dia Feliz" constituam uma porta amável e convidativa para todos os que ensaiam a sua entrada no mundo maravilhoso da poesia em Língua Portuguesa.

A Porta
Sinopse
Um menino e os pais chegam, de malas feitas, a uma casa nova. Mas a casa nova não tem em paredes, nem tecto, nem nada. Apenas uma porta.
 - Uma porta é um bom começo! - disse logo o pai que era um sonhador. Mas a mãe ficou muito aflita. - E onde é que está a cozinha, a sala, o quarto?!
Tudo estava por inventar naquela casa que ainda só tinha uma porta.
No entanto, essa não era uma porta vulgar. Abria para um mundo mágico onde viviam e vivem os novos vizinhos: o Grande Espinafre, a Bruxonauta, a Princesa Princesinha e o Xico Parafuso. Gente estranha e invulgar mas cheia de vontade de ajudar embora nem sempre essas ajudas resultem da melhor maneira. Basta lembrar os bruxedos falhados da Bruxonauta, das tentativas do Xico Parafuso de pregar as pessoas ao chão e os ponteiros ao relógio, ou do esparguete que não pára de crescer na horta do Grande Espinafre.

Alex Ponto Com - Uma aventura virtual
Sinopse
Alex desaparece misteriosamente de casa numa noite em que estava entretido com um jogo de computador. Em busca de pistas, alguns colegas de Alex e um professor vão consultar os documentos do seu computador, desaparecendo também de forma incompreensível. Na realidade, os jovens e o professor caíram para dentro do computador, onde Alex está prisioneiro de Maspúcia, uma personagem virtual mas extraordinariamente maléfica. Para salvar Alex, os seus amigos vão contar com a ajuda de outra personagem virtual, o terno e divertido Joe Silicone, que os acompanha na tentativa de chegar ao fim de um jogo onde os perigos são terríveis e as mortes reais.